Somente em fevereiro, a Prefeitura de Macau injetou perto de 5 milhões na economia local

Em meio ao cenário de crise econômica em que vive a maioria dos municípios, a Prefeitura de Macau não tem ficado de fora, com o acumulo de perdas de receitas nos últimos doze meses, fugindo das mais negativas previsões. Mesmo assim, a atual gestão destaca que somente nesse mês de fevereiro quase 5 milhões de reais saíram dos cofres do prefeitura e circularam na cidade.

Fazendo um apanhando rápido dos números, a Secretaria do Tesouro informa que foi possível chegar a esse montante, levando em consideração o desembolso para pagar os salários de efetivos e comissionados, a folha da Saúde, que engloba profissionais de nível superior e técnicos e ainda fornecedores e prestadores de serviços.

Na conta entram ainda a folha de janeiro dos aposentados e pensionistas que veio com reajuste, assim como aconteceu com os efetivos e com os professores que receberam seus vencimentos de janeiro, já equiparado ao Piso Salarial Nacional do Magistério.

Para o prefeito Einstein Barbosa, na medida do possível tem se buscado o equilíbrio nas contas públicas do município, de forma que não se comprometa o funcionamento dos serviços essenciais. O prefeito lembra que esse desembolso mensal vai aumentar a partir desse mês com o investimento na Educação, tendo em vista o início das aulas.

Reforço para Educação

A partir do início do ano letivo, a Educação passa a receber mais recursos destinados para suprir os insumos, a exemplo de material de expediente, merenda escolar, manutenção da frota do transporte escolar e combustível. Também ocorrerá um aumento considerável no consumo de energia elétrica e água para manter em pleno funcionamento todas as unidades de ensino do município, a partir da creche, pré-escola e ensino fundamental.

12745969_530458230460738_1811899149824875781_n